Ricos e Pobres: Fosso Digital

Fonte: AMPCOM | Data: 03 de october, 2007


A fase final da Conferência Mundial sobre a Sociedade da Informação (CMSI) será
realizada entre 16 e 18 de novembro de 2005, na cidade de Tunis (Tunísia). O objetivo é
reunir líderes políticos, empresariais e da sociedade civil que deverão tomar medidas
para transpor o "fosso digital" e consolidar a sociedade da informação mediante
parcerias público-privadas, além de redigir um documento de intenções políticas que
leve em consideração os interesses de todas as partes envolvidas. Cerca de 50 Chefes de
Estado e de Governo confirmaram até agora a sua presença na reunião de Tunis, que se
realizará no Kram PalExpo. O setor privado estará amplamente representado, com presença
confirmada de mais Presidentes do Conselho de Administração do que na fase de Genebra
da Conferência, em 2003. A Alcatel, a Eriksson, a Huawei, a Microsoft, a Nokia, a
Samsung e a ZTE estão entre os parceiros empresariais do Comitê de Organização
Tunisiano, WSIS Tunis 2005. Uma grande feira comercial de tecnologia da informação e
comunicação (TIC), "ICT for All", irá realizar-se entre 15 e 19 de novembro, no Kram
PalExpo. Empresas dos países desenvolvidos e em desenvolvimento apresentarão idéias
inovadoras e soluções práticas, encontrar-se e criar novas parcerias. A estimativa é
que 40 mil visitantes compareçam na "ICT for All". A Cúpula analisará a implementação
do ambicioso programa ambicioso acordado na fase de Genebra, em 2003. Em Genebra, 175
países aprovaram uma Declaração de Princípios que delineava uma visão comum da
sociedade da informação e um Plano de Ação que estabelece metas para a melhoria da
conectividade e do acesso em termos de utilização das TIC. As metas, que deverão ser
atingidas até 2015, incluem a ligação de aldeias, pontos de acesso nas comunidades,
escolas e universidades, centros de investigação, bibliotecas, centros de saúde e
hospitais e departamentos da administração local e central. A Cúpula de Tunis analisará
os primeiros dois anos de implementação do Plano de Ação. Os governos procurarão também
chegar a um acordo quanto a questões como estratégias financeiras eficazes para
promover a instalação das TIC no mundo em desenvolvimento e opções possíveis para a
governança da Internet. Um objetivo primordial será procurar formas de proporcionar um
melhor acesso dos países em desenvolvimento à Internet e a outras tecnologias da
informação e comunicação. Segundo a União Internacional das Telecomunicações (UIT), os
942 milhões de pessoas que vivem nas economias desenvolvidas do mundo dispõem de um
acesso cinco vezes melhor a serviços telefônicos fixos e móveis, de um acesso nove
vezes melhor a serviços de Internet e possuem 13 vezes mais computadores pessoais do
que os 85% da população mundial que vivem em países de rendimentos baixos ou
médio-baixos. A UIT estima também que 800 mil aldeias ainda não dispõem de ligação por
linha telefônica, Internet ou qualquer outra TIC moderna. Em paralelo com a Conferência
governamental, cerca de 250 mesas redondas, grupos de discussão, apresentações e
acontecimentos independentes foram planejados por organizações da sociedade civil,
entidades empresariais e delegações nacionais. Os grupos de discussão de alto nível
irão permitir que os Chefes de Estado e de Governo realizem debates públicos com
dirigentes empresariais e da sociedade civil.





A Conferência é organizada pela UIT, o organismo especializado das Nações Unidas
para as telecomunicações, com o apoio do Secretário-Geral, Kofi Annan, e do sistema das
Nações Unidas como um todo.




Fonte: ONU