Neurociência: Hormônio da fidelidade

Fonte: Mente e Cérebro | Data: 27 de june, 2013

Pesquisadores da Universidade de Bonn, na Alemanha, descobriram que maiores níveis do hormônio oxitocina – relacionado por estudos anteriores à criação de vínculos e às sensações de segurança e bem-estar – faz com que homens heterossexuais comprometidos mantenham, literalmente, distância de outras mulheres. De acordo com estudo publicado no Journal of Neuroscience, voluntários em relacionamentos estáveis que receberam uma dose d e spray intranasal com a substância se mantiveram, em média, até 15 centímetros mais afastados que os solteiros de uma bela mulher que interagiu com eles durante o experimento.



A distância não significou que eles não a acharam atraente. Em questionários que responderam depois do teste, eles revelaram considerá-la bonita e simpática, da mesma forma que os não comprometidos. Os autores sugerem que a oxitocina tem papel essencial na preservação dos relacionamentos afetivos e que age de acordo com o tipo de interação social. Ou seja, ela pode tanto promover cumpl icidade entre pessoas próximas quanto desconfiança em relação a estranhos.